Nossa Escola

Identificação

O Centro Educacional Santa Teresinha, com sede na cidade de Manaus, Capital do Estado do Amazonas, situa-se à Rua 7 de Setembro, 2107. Foi inaugurado no dia 2 de abril de 1937, por Dom Pedro Massa, Bispo do Rio Negro, com o objetivo de acolher e educar as jovens mais pobres dos bairros vizinhos. É uma escola que desde o início, fcou sob a responsabilidade do Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora, uma rede educacional e de solidariedade mundial, situada em múltiplos contextos culturais. Tem, por natureza, uma "missão educativa comproometida com os príncípios evangélicos e o estilo do Sistema Educativo de D. Bosco e de Madre Mazzarello.

Santa Teresinha

São João Bosco

Maria Mazzarello

Filhas de Maria Auxiliadora


Identificação

Santa Teresinha

Santa Teresa do Menino Jesus e da Sagrada Face, Santa Teresa de Lisieux ou apenas Santa Teresinlia nasceu em 2 de janeiro de 1873, em Alencon. França. Filha do relojoeiro Louis Martin e da artesã Zélia Guérin, ela abraçou a vida religiosa assim como suas cinco irmãs.

Próximo de completar 15 anos, no final de 1887, Santa Teresinha entrou para o convento das carmelitas, situado na cidade de Lisieux. Passou nove anos no convento vivendo a mais intensa fé eclesiástica. Em abril de 1896 descobriu-se que ela estava com tuberculose. Santa Teresinha queria muito ir como missionaria para a Indochina, mas sua saúde debilitada não lho permitiu. Nos últimos dezoito meses de sua doença. passou por difíceis momentos. vindo a falecer em 1897, aos vinte e quatro anos de idade.

A santa dissera que unia chuva de rosas (bençãos) cairia sobre a Terra após a sua morte. E não demorou para os milagres começarem a aparecer. A cura de um seminarista em Lisieux em 1906 e a cura de uma religiosa nos Baixos Pireneus em 1919 são apenas dois dos vários considerados indiscutíveis pela Igreja.

Fato importante da vida de Santa Teresinha, com certeza, foi a sua inclinação aos escritos. Na autobiografia "História de uma alma" é possível perceber a serenidade de sua alma em várias citações.. Já debilitada pela tuberculose, não rejeitava qualquer sacrifício: continuava 'a jogar para Jesus flores de pequenos sacrifícios". Ainda escrevia conforme o convite do evangelho de se fazer pequeno como criança: "Eu havia me oferecido a Jesus Menino como um brinquedo, e lhe havia dito que se servisse de mim não como uma coisa de luxo. que as crianças se contentam em guardar, mas como uma pequena bola sem valor, que ele pudesse jogar na terra, empurrar com os pés, deixar em um canto ou também apertar contra o coração, quando isso lhe agradasse. Numa palavra, queria divertir o Menino Jesus e abandonar-me aos seus caprichos infantis".

Santa Teresinha se tornou uni símbolo popular nos tempos modernos, porque defendia que a santidade pode ser alcançada por qualquer pessoa, mesmo que "seja obscura, humilde, sem talento e comum, por meio de pequenos atos e pelo desempenho das obrigações diárias num aperfeiçoado espírito de amor a Deus".

A fama de sua santidade e de seus milagres aceleraram-lhe a canonização. Apos ser beatificada, em 1923, recebeu a canonização, em 1925, sendo considerada a "Padroeira das Missões" pela sua armadura espiritual.


Identificação

São João Bosco

16 de Agosto de 1815 - 31 de Janeiro de 1888.

São João Bosco é um dos Santos mais populares da Igreja e do mundo. Foi sua missão especifica a educação cristã da juventude, num tempo em que essa porção da sociedade humana começava a ser atacada por novos e perigosos inimigos. Dom Bosco nasceu em E3ecchi no Piemonte, Itália, a 16 de agosto de 1315. Era filho de humilde família de camponeses. Órfão de pai aos dois anos viveu sua mocidade e fez os primeiros estudos no meio de inumeráveis trabalhos e dificuldades. Em 1835 entrou para o seminário de Chieri. Ordenado Sacerdote a 5 de junho de 1841, principiou logo a dar provas do seu zelo apostólico, sob a direção de São José Casfasso, sei confessor. Em 1846 estabelece-se definitivamente em Valdocco, bairro de Turim, onde fundou o Oratório de São Francisco de Sales. Ao Oratório juntou urna escola profissional, depois um ginásio, um internato etc.

Em 1855 deu o nome de Salesianos aos seus colaboradores e em 1859 fundou com seus jovens a Sociedade ou Congregação Salesiana. Com a ajuda de Santa Maria D. Mazarello, fundou em 1872 o Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora para a educação da juventude feminina.

Enviou em 1875 a primeira turma de seus missionários à América do Sul. Foi ele quem mandou os Salesianos para fundar o Colégio Santa Rosa em Niterói, primeira casa Salesiana do Brasil. e o Liceu Coração de Jesus em São Paulo. Consumido pelo trabalho, fechou o ciclo de sua vida terrena aos 72 anos de idade, a 31 de janeiro de 1888. Se em vida foi honrado e admirado, muito mais o foi depois da morte. C seu nome de renovador do Sistema preventivo na educação da juventude, de defensor intrépido da Santa Igreja Católica e de apóstolo da Virgem Auxiliadora se espalhou pelo mundo inteiro e ganhou o coração dos povos, Pio XI na Páscoa de 1934, canonizou-o.


Identificação

Maria Mazzarello

Maria Domenica Mazzarello nasceu em 09 de maio de 1837, em Mornese, Itália. Filha de camponeses era a primogênita de dez filhos e aprendera a trabalhar duro, ajudando a mãe Maria nos trabalhos de casa e o pai José nos vinhedo, até que a irmã Felicina pôde substitui-la em casa.

Os pais eram cristãos fervorosos, muito preocupados com a educação dos filhos, e se dedicaram especialmente à primogénita. Para isso, contaram com a ajuda de padre Domingos Pestarino que teve forte influencia na formação espiritual de Maria Domenica. No dia 09 de dezembro de 1855, nasceu em Mornese a Pia das Filhas da Imaculada, composta por moças escolhidas a dedo por Dom Pestarino. Maria Domenica, então com dezoito anos, era uma delas. Esse grupo se distinguiu pela dedicação às meninas mais desprotegidas, pela preocupação com a catequese e com o acompanhamento às mães cristãs. Entre elas. Maria Domenica sobressaía, pela alegria e pela liderança que exercia. Em 1857, durante urna epidemia de tifo, Maria Domenica foi cuidar de parentes que haviam contraído a moléstia. Mas o esforço a debilitou e ela também ficou doente. Com muito custo conseguiu se recuperar, mas a antiga energia nunca mais voltou. Assim, impossibilitada de trabalhar nos campos, convidou Petronila, sua grande amiga e Filha da imaculada, para frequentarem aulas de corte e costura com o alfaiate do lugar, para aprenderem a profissão.

Quando estavam aptas, abriram urna salinha de costura no povoado, para ensinar às meninas do povo não apenas a costurar, mas a amar muito Jesus e Nossa Senhora e viver sempre na presença deles: "Cada ponto da agulha seja um ato de amor a Deus-. Desta salinha de costura nasceu o instituto das Filhas de Maria Auxiliadora. O número de meninas aumentava e algumas, não tendo para onde ir. permaneciam ali. Vendo o trabalho que faziam, outras moças quiseram juntar-se a elas e, logo, constituíram um grupo de moças, unidas por um mesmo ideal, fortalecidas por urna mesma espiritualidade, vivendo vida comum. Quando Dom João Bosco, hoje Santo, as conheceu no início de outubro de 1864. percebeu que ali estava a resposta de Deus ao seu desejo de fazer pelas meninas o mesmo que ele já vinha fazendo pelos meninos. E assim. depois de longa preparação, em 1872 nasceu o instituto das Filhas de Maria Auxiliadora. as Irmãs Salesianas.

Maria Domenica foi logo eleita Superiora e confirmada por Dom Bosco. E sob sua direção, o instituto cresce e se expande pela Itália, pela Europa e chega até à América. Quando ela morre. aos quarenta e quatro anos de idade. aos 13 de maio de 1881, suas Irmãs já eram realidade na Igreja e em dois continentes. Hoje, sua congregação espalha-se por todo o mundo a serviço da juventude pobre e desamparada.

Maria Domenica Mazzarello foi canonizada pelo Papa Pio XII em 1951 e sua veneração ocorre no festivo dia da celebração de Nossa Senhora de Fátima, data em que a fundadora foi ao encontro do Pai Eterno.


Identificação

I- ORIGEM

Nossa Família religiosa nasceu do coração dos fundadores Dom Bosco e Maria Domingas Mazzarello, no ano de 1872, em Mornese, pequeno vilarejo da Província de Alessandria (Piemonte - Itália), para responder à necessidade de educação da juventude.

O Fundador São João Bosco quis a nossa Família religiosa ao lado da Congregação Salesiana para oferecer também às meninas oportunidade de formação assim como ele fazia em favor dos seus jovens. Maria Domingas Mazzarello, junto à primeira comunidade de Mornese (Alessandria -Itália), elaborou a experiência educativa de Dom Bosco adaptando-o de modo criativo às necessidades das jovens. E assim, junto com São João Bosco, tornou-se Cofundadora do Instituto.

Dom Bosco e Madre Mazzarello sentiram desde o inicio a necessidade de envolver pessoas que pudessem colaborar com sua obra educativa. Criaram o ambiente educativo como lugar permeado pelo espírito de família, impregnado de alegria e de esperança, no qual compartilhavam os valores fundamentais da existência, presentes na espiritualidade do Sistema Preventivo e no seu método educativo, tendo como meta: Formar bons cristãos e honestos cidadãos. A dimensão mariana é uma característica essencial deste método, baseado na amorevolezza salesiana que faz crescer em humanidade e estimula a doar aos outros o amor recebido.

A necessidade da educação tornou-se em muitos Países uma emergência, e o instituto sente-se particularmente impelido a oferecer uma proposta educativa integral inculturada, articulada e capaz de responder às solicitações dos diferentes contextos nos quais estamos presentes: 94 Países nos cinco continentes. Desde as origens a dimensão missionária é elemento essencial da identidade do Instituto.

II- EXPANSÃO MISSIONÁRIA

As Filhas de Maria Auxiliadora chegaram ao Norte do Brasil em 1923, vindas da Inspetoria Santa Catarina de Sena - de São Paulo. A primeira casa fundada foi no estado do Amazonas, município de São Gabriel da Cachoeira, na região do Alto Rio Negro, onde as primeiras missionárias lançaram a semente do carisma salesiano, dedicando-se ao trabalho de evangelização entre os povos indígenas. Desde o início, a presença das Irmãs Salesianas nas terras da Amazônia teve a marca de um forte e profundo ardor missionário.

As oito casas abertas na Amazônia passaram a pertencer juridicamente à Inspetoria Maria Auxiliadora do Nordeste no ano de 1941. Após 20 anos de caminhada, foi constituída juridicamente a Inspetoria Laura Vicuña, com 155 irmãs e 13 casas localizadas nos Estados do Pará, Rondônia e Amazonas, cuja sede ficou instalada na cidade de Manaus. A Inspetoria, no percurso de 38 anos, alcançou um notável crescimento, tanto em número de presenças quanto no aumento de vocações autóctones. As casas passaram de 13 para 25.

III- NOSSA PRESENÇA NA AMAZÔNIA

A expansão geográfica das comunidades e obras trouxe também novos desafios para a missão educativa e evangelizadora desenvolvida pelas FMA nos diversos contextos de atuação da Inspetoria, tanto nas cidades como no interior. As missões do Rio Negro, cuja presença missionária se tornou viva e atuante nos municípios de Barcelos, Santa Izabel e São Gabriel da Cachoeira, também foram atingidas pelos desafios da sociedade contemporânea, com seus valores e limites.

Em 1998, o Conselho Inspetorial encaminhou ao Centro do Instituto o pedido de desmembramento da Inspetoria Laura Vicuña, motivado por duas grandes necessidades: dar maior atendimento às pessoas, comunidades e obras situadas na região e desenvolver uma ação pastoral diferenciada, respeitando a diversidade cultural dos 23 grupos étnicos da Região do Alto Rio Negro. O redimensionamento se efetivou com a criação da Visitadoria Santa Teresinha, aprovada pela Superiora e o Conselho Geral, com o verbal nº. 271/98 e celebrada oficialmente em 24 de janeiro de 1999. A nova Instituição contava com 11 casas, 80 Irmãs e 04 noviças. Foi nomeada superiora da Visitadoria Santa Teresinha Ir. Maria Lúcia Barreto.

No final de 2005, após cinco anos de sua existência, a Madre e o Conselho Geral aprovaram a criação da Inspetoria Santa Teresinha, com o Decreto de 24/12/2005, consolidando nossa opção em favor dos povos indígenas, no empenho de estarmos junto aos mais necessitados e excluídos da sociedade, para tornar sempre mais visível e efetiva a proposta de "educar evangelizando e evangelizar educando".